JRM - Projeto de pesquisa do Câmpus Osório (IFRS) recebe mais um reconhecimento em evento científico

Educação

Projeto de pesquisa do Câmpus Osório (IFRS) recebe mais um reconhecimento em evento científico

COMPARTILHE ISSO:

"Pesquisar é, sem dúvida nenhuma, abrir a mente, trabalhar e se dedicar muito. Horas de pesquisa, horas de trabalho, horas de dúvidas e incertezas. Ser finalista da Febrace já é um grande prêmio, pois é o momento de divulgarmos nosso trabalho. Hoje fomos mais longe". Foi com esta frase, divulgada em rede social, que a professora de Panificação e Confeitaria do Câmpus Osório, Flávia Santos Twardowski Pinto, comemorou a conquista de mais um reconhecimento para o trabalho de pesquisa que coordena: Produção de um produto de panificação utilizando a farinha da casca do abacaxi. O grupo, integrado pelos alunos bolsistas André de Lima Berzagui e Yasmin Ferrari, ficou em segundo lugar na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), realizada de 17 a 21 de março de 2014, na Universidade de São Paulo (Usp). Além do troféu, recebeu como premiação credencial para a Mostra Técnica de Projetos da Escola Arte de Educar e CEB (MTEP), que acontece no Maranhão de 25 a 27 de setembro. Flávia também foi uma das dez finalistas do Prêmio Professor Destaque, entre um total de 440 orientadores e coorientadores de trabalhos. O vídeo produzido para concorrer a este reconhecimento (com acesso pelo link http://youtu.be/GPoL-cojBf0) apresenta os desafios enfrentados e os caminhos que proporcionaram o início da pesquisa no Câmpus Osório, bem como os projetos que desenvolveu e que colocaram a instituição no cenário da pesquisa em nível nacional e internacional. O ganhador do troféu foi o professor Ricardo Ferreira da Fonseca, do Ceará. O projeto foi selecionado no dia 18 de dezembro para ser apresentado, junto a outros 340 trabalhos, na 12ª edição da feira, que se resume como um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, incentivando a criatividade e a reflexão em estudantes da educação básica. Enquadrado na categoria Ciências Agrárias, subcategoria Ciência e Tecnologia de Alimentos, a pesquisa surgiu da constatação de que a população brasileira não ingere a quantidade diária de fibras recomendadas. "Segundo dados do IBGE, apenas 68% das fibras que deveriam ser consumidas estão presentes na dieta dos brasileiros. Nosso trabalho focou na possibilidade de utilizar a casca do abacaxi - que é rejeitada pela indústria e possui elevados teores de açúcares e fibras, além de vitaminas e minerais - na forma de farinha como fonte de suplementação das fibras em produtos de panificação", explica a professora Flávia. O trabalho é realizado em parceria com a Ufrgs, com apoio da professora Simone Hickmann Flôres e da doutoranda Tainara Crizel. Fonte: Gabriela Morel/ IFRS - Campus Osório

Fotos

 

Comentários

Comentar esta notícia Comentar esta notícia